Postagens

Vincent Cheung - O axioma de Gabriel

"Como será isso", perguntou Maria ao anjo, "desde que sou virgem?"
O anjo respondeu: "Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível.".
"Eis aqui a serva do Senhor", respondeu Maria. "cumpra-se em mim segundo a tua palavra". Então, o anjo a deixou. (Lucas 1: 34-38)
Aqui, Deus envia o anjo Gabriel para dizer a Maria que ficará gravida e dará à luz uma criança. Não será uma criança comum. Como o Filho do Altíssimo, ele será divino. E como ele nascerá através de uma mulher, ele também será humano. Ele será a encarnação da deidade. De acordo com a promessa de Deus, ele tomará posse permanente do trono de Davi. E, ao contrário daqueles que o prefiguraram, este rei nu…

Vincent Cheung - Não nos conduza à tentação

Na Oração do Senhor, o que Cristo tem em mente quando diz: "Não nos conduza à tentação"?
Ele tem em mente exatamente o que as palavras dizem - ele está nos dizendo para pedir a Deus para não nos conduzir à tentação. O contraste imediatamente segue: "mas livra-nos do mal" ou do maligno. As tentações estão completamente debaixo do controle de Deus, e é claro que ele leva as pessoas às tentações, como o Espírito levou Jesus ao deserto para ser tentado por Satanás. Como Tiago 1:13 diz, ele não tenta, nem pode ser tentado; No entanto, ele inicia, sustenta e dirige tentações através de Satanás e outras "coisas" criadas (como nossas concupiscências). A distinção é clara: Deus não é Satanás, e Deus não é nossa concupiscência, mas ele causa e controla ambos, a fim de tentar as pessoas a pecar.
Assim como sabemos que Deus decreta muitas coisas negativas, como doenças e desastres, e os preceitos de Deus ensinam-nos a encarar as coisas negativas que ele decreta (rezar …

Ronald Hanko - A igreja e Israel

Nós temos apontado os muitos nomes e descrições usados ​​nas Escrituras que mostram que a igreja e Israel são idênticos. A igreja é o monte Sião, a cidade de Deus, a Jerusalém celestial e sagrada (Hb 12:22-28, Apocalipse 21:9-10), a nação santa (1 Pedro 2:9), a videira (João 15:1-6; Salmos 80:8), e a noiva de Deus (Efésios 5:31-32; Apocalipse 21:9-10). A igreja é tudo o que Israel foi no Antigo Testamento.
Esta identificação da igreja e de Israel é destacada pelo fato de Israel ser chamado de "igreja no deserto" em Atos 7:38.
Na mesma direção, os eleitos de Deus de todas as nações são identificados como o verdadeiro Israel, os verdadeiros Judeus (Romanos 2:28-29, Romanos 9:8, Gálatas 3:29, Filipenses 3:3). De fato, as profecias da Escritura que parecem referir-se a Israel nacional são espiritualizadas e aplicadas à igreja no Novo Testamento (compare Os 1:10 com sua realização em Rm 9:24-26 e Amós 9:11-15 com a sua realização em Atos 15:13-17).
Isto é de suma importância no que …

Gary DeMar - Cuidado com o diálogo

A armadilha mais recente está sendo armada por quem deseja dialogar sobre a questão do homossexualismo. Charles C. Haynes, professor sênior do First Amendment Center [Centro da Primeira Emenda] em Arlington, Virgínia, escreveu: “Quando o assunto é homossexualismo nas escolas públicas, não precisamos concordar com o que está certo ou errado. Mas ao trazer os dois lados da questão à discussão, pode-se encontrar paz”. Você pode imaginar o que teria acontecido se a mesma abordagem tivesse sido utilizada com relação à segregação ou à escravidão? Os antissegregacionistas tiveram de entrar na batalha com os pés firmemente plantados no alto terreno da moral. Eles não fariam nenhuma concessão ao argumento da neutralidade moral. Sua melhor arma era o argumento de que a segregação e a escravidão eram injustas. Qualquer coisa menos e os negros ainda estariam se sentando no fundo dos ônibus cantando “nós venceremos”. ------------ O lobby a favor do homossexualismo quer alcançar um único objetivo – q…

Vincent Cheung - Qual é o objetivo?

Se, como você insiste, homens e mulheres são escolhidos por Deus para a vida eterna ou morte eterna, então não há, absolutamente, nenhum objetivo no evangelismo.
Como todos os desafios contra as doutrinas da soberania divina e da eleição divina, essa objeção popular é fácil de responder. Também é muito triste, porque a objeção revela a atitude sinistra que está no coração desta pessoa, algo que ele, provavelmente, se recusaria a declarar em termos explícitos.
Quem levanta essa objeção me diz que está longe de Deus e não tem respeito por Ele. Ele revela uma atitude que diz: "A menos que o meu papel seja, pelo menos, tão importante e determinante quanto o papel de Deus, não encontro, absolutamente, nenhum objetivo ao fazer o que Ele me diz para fazer. A menos que minha desobediência contribua diretamente e necessariamente para a condenação eterna de alguém - para que ela arda no inferno para sempre - não há nenhum objetivo em obedecer a Deus, nenhum". Eu tinha mais temor a Deu…

William Lane Craig - Deus é injusto por me criar sem o meu consentimento?

Imagem

James Montgomery Boice - Alicerçados em Cristo (Mt 16.17-21)

Imagem
“Então, Jesus lhe afirmou: Bem- aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar- te- ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus. Então, advertiu os discípulos de que a ninguém dissessem ser ele o Cristo. Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia.” (Mt 16.17-21 - ARA) Essa passagem apresenta vários pontos importantes. Primeiro, a ênfase na confissão de Pedro, que focava a pessoa de Cristo, e não o próprio Pedro. Jesus disse que essa compreensão tinha sido dada a Ele por uma revelação especial do Pai. .........…