Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

A. A. Hodge - Arrependimento é dom de Deus?

Imagem
Como pode se provar que o arrependimento é dom de Deus?
1. Isso é evidente pela própria natureza do arrependimento. Este inclui: (1) um sentimento de odiosidade do pecado; (2) um sentimento da beleza da santidade; (3) a apreensão da misericórdia de Deus em Cristo. Pressupõe, portanto, a fé, que é dom de Deus - Gl 5:22; Ef 2:8.
2. As Escrituras afirmam-no expressamente - Zc 12:10; At 5:31; 11:18; 2Tm 2:25.
Versículos: "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança." - Gálatas 5:22
"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus." - Efésios 2:8
"Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito." - Zacarias 12:10
"Deus com a s…

Como conciliar 1 Co 15.20 com Mt 27.52 ?

Imagem
"Como conciliar 1 Coríntios 15.20 com Mateus 27.52?"
Em 1 Coríntios 15.20 o apóstolo Paulo fala de Cristo como a garantia da nossa ressurreição, no futuro, na sua segunda vinda. Em Mateus 27.52, os santos ressuscitados, depois de Jesus, constituem um sinal da vida eterna e confirmação de que Deus, ao aceitar aqueles "santos" das mãos de seu Filho, estava aceitando todos os restantes. Este fato concorda com a oferta que o sacerdote fazia a Deus, por ocasião da festa das colheitas: "Então trareis um molho das primícias da vossa messe ao sacerdote: este moverá o molho perante o Senhor, para que sejais aceitos", Lv 23.10,11. Jesus como nosso Sumo Sacerdote ofereceu, após a sua ressurreição, um "molho", que foi aceito pelo Pai, prova de que também nós fomos aceitos.
Fonte: A Bíblia responde - edições CPAD

W. Gary Crampton e Richard E. Bacon - Ética cristã

Imagem
Ética é uma disciplina normativa, que procura prescrever obrigações para a humanidade. Ela tem a ver com o que uma pessoa “deve” fazer. Ética é uma questão de autoridade. Moral, por outro lado, descreve o comportamento padrão de indivíduos e sociedades, isto é, o que as pessoas fazem. A ética de alguém deve determinar sua moral. ........................................................... Se não houvesse nenhuma lei de Deus, então não haveria nenhum pecado. Nossa conduta moral, portanto, deve ser guiada pelo padrão ético da Palavra de Deus. Novamente para citar a Confissão (16:1): “Boas obras são somentes aquelas que Deus ordena em sua santa palavra, não as que, sem autoridade dela, são aconselhadas pelos homens movidos de um zelo cego ou sob qualquer outro pretexto de boa intenção” .......................................................... A distinção entre o certo e errado é inteiramente dependente dos mandamentos de Deus, pois ele é “o Senhor”. O sistema cristão de ética é baseado na pr…

Kevin DeYoung - Por que devemos ser explicitamente teológicos

Imagem
Kevin DeYoung é o pastor da University Reformed Church em East Lasing, MI, EUA. Obteve sua graduação pelo Hope College e seu mestrado pelo Gordon-Conwell Theological Seminary. É autor de diversos livros, preletor em conferências teológicas e pastorais, é cooperador do ministério "The Gospel Coalition" e mantém um Blog na internet "DeYoung, restless and reformed". Kevin é casado com Trisha com quem tem 4 filhos.
Se não me engano, nossa igreja tem uma reputação de ser bastante teológica. Sei que por isso muitas pessoas têm vindo à nossa igreja. E imagino por que algumas pessoas têm saído dela, ou nem sequer nos procuraram. Mas nenhuma igreja deveria se desculpar por falar e gostar de teologia. Contudo – isto é uma importante advertência – se somos arrogantes com a nossa teologia, se a nossa paixão doutrinária é simplesmente um objetivo intelectual eticamente duvidoso, ou se somos completamente desproporcionais em nossos afetos para com outras doutrinas nã…

John MacArthur - Escolhidos

Imagem
I. DEUS NOS ESCOLHEU (vv. 3-4)
"Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele."

A. A AFIRMAÇÃO DO APÓSTOLO
Paulo inicia esta passagem afirmando que Deus recebe todo o louvor na salvação. O verbo traduzido "escolheu" (no grego, eklegomai) foi empregado na forma reflexiva, significando "selecionar para si mesmo". Isso significa que a ação do verbo retorna à pessoa que a pratica. Paulo estava dizendo que Deus nos escolheu tendo em vista o seu próprio interesse - para Si mesmo, pessoalmente. A escolha divina foi realizada antes que o mundo existisse.

B. A CONFIRMAÇÃO DAS ESCRITURAS
A Bíblia afirma a verdade da escolha redentora feita por Deus.

1) Mateus 25.34 - Jesus disse: "Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado de…

João Calvino - Pai e Filho

Imagem
Calvino, seguindo a interpretação de Agostinho (354-430), escreve: "Cristo, com respeito a si mesmo, é chamado de Deus, e em relação ao Pai é chamado Filho. Assim, o Pai, com respeito a si mesmo, é chamado Deus, e em relação ao Filho se chama Pai. Enquanto em relação ao Filho é chamado Pai, ele não é Filho; da mesma forma o Filho, com respeito ao Pai, não é Pai. Mas, enquanto que o Pai, com respeito a si mesmo, é chamado Deus, e o Filho, com respeito a si mesmo, é também chamado Deus, trata-se do mesmo Deus. Assim quando falamos do Filho simplesmente sem relação com o Pai, afirmamos reta e propriamente que tem seu ser de si mesmo; e por esta causa o chamamos único princípio; porém quando nos referimos à relação que tem com o Pai, com razão dizemos que o Pai é princípio do Filho".
Fonte: As Institutas

Vincent Cheung - Resumo da doutrina da Escritura

[Adaptado de uma declaração inédita sobre a doutrina da Escritura.]

A Bíblia consiste nos 66 livros do Antigo e Novo Testamento. Eles foram produzidos por inspiração divina, e coligidos e preservados pela providência de Deus, de forma que operam em conjunto e são mencionados com uma única obra.
A Bíblia é a revelação verbal de Deus. É sua voz. Todas as palavras da Bíblia foram inspiradas e expiradas por Deus. Ele fez homens registrarem as palavras exatas que desejava usar para comunicar seus pensamentos.
A palavra é um símbolo, e um símbolo pode representar uma ideia ou um conjunto de ideias. Portanto, a linguagem humana é suficiente para comunicar qualquer coisa procedente de Deus ou referente a ele. Qualquer limitação deve jazer na capacidade humana de pensar ou processar as ideias comunicadas por Deus. Pelo fato de Deus ter criado o homem à sua imagem, o homem conta com a capacidade de pensar ou processas as ideias comunicadas por Deus.
A Escritura é coerente e consistente.…

Paul Washer - Igrejas usando meios carnais para atrair pessoas carnais

Imagem
Fonte: You Tube

Water Chantry - O Mito do Livre Arbítrio

Walter Chantry, nascido em 1938, foi pastor da Grace Baptist Church em Carlisle, PA, EUA por 39 anos, até o ano de 2002. Chantry recebeu seu Mdiv pelo seminário teológico Westminster, PA, foi editor da revista “The Banner of Truth” e é escritor e preletor em conferências teológicas.
A maioria das pessoas diz que crê no “livre-arbítrio”. Você tem alguma idéia do que isso significa? Acredito que você achará grande quantidade de superstição sobre este assunto. A vontade é louvada como o grande poder da alma humana, que é completamente livre para dirigir nossa vida. Mas, do que ela é livre? E qual é o seu poder?
O mito da liberdade circunstancial Ninguém nega que o homem tem vontade – ou seja, a capacidade de escolher o que ele quer dizer, fazer e pensar. Mas, você já refletiu sobre a profunda fraqueza de sua vontade? Embora você tenha a habilidade de fazer uma decisão, você não tem o poder de realizar seu propósito. A vontade pode planejar um curso de ação, mas não tem nenhum p…