Martinho Lutero - "Se queres" ou "se desejas", como entender?


Argumento 13: A lei mostra a fraqueza humana e o poder salvador de Deus.

Um outro trecho que você cita é Mateus 19.17: "Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos". Você indaga como é que as palavras "se queres" poderiam ter sido dirigidas a alguém cuja vontade não é livre. No entanto, você já havia concordado que o "livre-arbítrio" não pode querer nenhuma coisa boa e que, sem a graça divina, pode somente servir ao pecado. Como, então, pode querer provar que a vontade humana é inteiramente livre? Será realmente verdade que a cada vez em que dizemos a alguém "se quiseres", ou "se desejas", significa que existe a capacidade de se fazer aquilo? Suponha que digamos o seguinte: "Se você quiser comparar-se a Davi, terá de produzir salmos como os dele". Não estaríamos  dizendo que isso nos seria impossível, a menos que Deus nos capacitasse para tanto? Assim, nas Escrituras encontramos expressões similares a essa, para nos mostrar o que pode ser feito no poder de Deus e o que não podemos fazer por nós mesmos. Essas expressões não somente mostram coisas que não podemos fazer com nossos poderes naturais, mas também revelam uma promessa do tempo em que essas coisas serão realizadas através do poder de Deus. Poderíamos exprimir o sentido das Escrituras assim: "Se chegares a manifestar a vontade de guardar os mandamentos (o que terás, não por ti mesmo, mas através de Deus, que a dá a quem Ele deseja), então, eles te preservarão".

Dessa maneira, podemos perceber que não podemos fazer nenhuma daquelas coisas que nos são ordenadas, ao mesmo tempo em que podemos fazer todas elas; pois, nossas fraquezas pertencem a nós mesmos e a nossa capacidade nos é dada através da graça de Deus.

Fonte: “Nascido escravo” da Editora Fiel

Postagens mais visitadas deste blog

A. A. Hodge - Arrependimento é dom de Deus?

Santo Anselmo - Criou tudo do nada