Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

Catecismo de Heidelberg - o único Filho de Deus

33. Por que Cristo é chamado "o único Filho de Deus", se nós também somos filhos de Deus?
R. Porque só Cristo é, por natureza, o Filho eterno de Deus (1). Nós, porém, somos filhos adotivos de Deus (2), pela graça, por causa de Cristo.
(1) Jó 1:14, 18; Jo 3:16; Rm 8:32; Hb 1:1,2; 1Jo 4:9 (2) Jo 1:12; Rm 8:15-17; Gl 4:6; Ef 1:5,6

François Turretini - A Trindade na encarnação de Jesus

A questão não é se toda a trindade era ativa no ministério da encarnação. Porque, visto que as obras externas estão divididas segundo um axioma aceito pelos teólogos, esta obra da encarnação (que é externa) não pode senão ser comum com respeito a toda Trindade. Daí lermos que o Pai enviou o Filho (Jo 3.16) e que pelo Espírito Santo o Filho foi concebido no ventre da virgem. Sim, para esta obra demandavam-se necessariamente três pessoas. Uma, para sustentar a majestade de Deus, o autor de todas as coisas e o juiz supremo, a parte ofendida. A segunda, para agir como Mediador entre Deus e os homens, e fazer satisfação pelos homens. A terceira, para levar a bom termo a obra da salvação em nós. À primeira lemos pertencer a destinação da salvação; à segunda, sua aquisição; à terceira, sua aplicação e consumação. Portanto, a questão não é: a encarnação pertence de algum modo a Trindade santa? Antes, a questão é apenas se ela foi terminante e apropriadamente encarnada. Embora originalmente e …

Kevin DeYoung - Argumento pedobatista de Paulo

Imagem
“Romanos 4.11 E recebeu o sinal da circuncisão como selo da justiça da fé que teve quando ainda incircunciso;” 
Se a circuncisão foi para Abraão um selo da justiça da fé, então nós não podemos dizer que o corte da carne foi simplesmente um marcador de identidade étnica ou um mero sinal de importância física. A circuncisão foi um selo das mais profundas realidades espirituais, um sinal visível do perdão dos pecados e justificação pela fé. Assim como o batismo seria séculos depois. 
E se esse sinal espiritual – um selo da justiça que vem pela fé – foi administrado a Abraão e seus filhos pequenos, então nós não podemos dizer que a coisa significada deve sempre estar presente antes de o sinal ser administrado. Isaque foi circuncidado, e Ismael também foi – a ambos foi dado o sinal da justificação somente pela fé antes do exercício da fé. Assim como o batismo infantil. 
Então quer o batismo infantil faça sentido para você ou não – e eu respeito profundamente meus amigos não pedobatistas em mi…

Leonard T. Van Horn - Estamos muito ocupados

Imagem
Estamos muito ocupados, ou devemos estar muito ocupados, em pregar a única mensagem que – quando acreditada – pode capacitar o homem a escapar da ira e maldição de Deus. A Bíblia ensina, como tão bem mostrou Charles Hodge em 1855, que:
1) Nada nesta terra é suficiente para salvar o homem à parte de Cristo; 2) A fé em Jesus Cristo é necessária; 3) Deus mandou que o Evangelho fosse pregado a todas as nações como sendo o meio de salvar as pessoas.
E mesmo assim, tantas, tantas pessoas passam os dias sem dizer às pessoas com quem se encontram que Jesus Salva!
Fonte: “Estudos no Breve Catecismo de Westminster” da Editora Os Puritanos

Henrietta C. Mears - A edificação do Tabernáculo (parte 2)

Imagem
O Santo dos Santos
Se descerrarmos o belo véu (que tipifica o corpo de Cristo), veremos a arca da aliança, símbolo da presença de Deus. Nesse Santo dos Santos, o sumo sacerdote entrava somente uma vez por ano para aspergir o sangue da expiação. O livro de Hebreus nos diz que Cristo não só é nosso sumo sacerdote mas que ele foi nossa expiação, e assim podemos entrar no Santo dos Santos (a presença de Deus) a qualquer momento com ousadia.
O tabernáculo em si
O tabernáculo, com a nuvem de glória sobre ele, ensinava ao povo que Deus estava habitando no meio deles (Êxodo 25:8). O tabernáculo era o centro comum e o lugar de reunião que podia ser mudado de tempos em tempos. Os críticos dizem que a descrição do tabernáculo e sua maravilhosa estrutura não podia ser verdadeira. Dizem eles que os tempos eram muito primitivos, mas as investigações têm fornecido abundante prova da grande perícia nessas questões, bem antes do Êxodo. Linho fino era usado de muitos modos. Obras finas em ouro tem sido des…

Henrietta C. Mears - A edificação do Tabernáculo (parte 1)

Imagem
Êxodo 25 a 40 oferece-nos um dos veios mais ricos nas minas inesgotáveis da inspiração. Temos de usar nossa imaginação e intelecto ao entrar nos recintos sagrados e contemplar os utensílios nele existentes. Deus disse a Moisés que desejava um santuário ou habitação sagrada que apontasse para Cristo e falasse da pessoa e da sua obra.
O átrio do tabernáculo
Aqui ficava o altar de bronze, no qual se sacrificavam as ofertas queimadas. Lembre-se, Cristo é nosso holocausto (Êxodo 27:1-8). A bacia estava lá para a purificação dos sacerdotes, antes que pudessem entrar no lugar santo a fim de prestar o seu serviço (Êxodo 30:18).
O Santo Lugar
Nele ficava o candelabro de ouro (Êxodo 25:31-40), tipificando Cristo, a luz do mundo; e a mesa dos pães da proposição (Êxodo 25:23-30), porque Cristo é o Pão da Vida; e o altar do incenso (Êxodo 31:1-10), simbolizando a intercessão de Cristo por nós.
Fonte: "Estudo Panorâmico da Bíblia" da Editora Vida