Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2014

Thomas Witherow - Os ofícios temporários da igreja do 1º século

Imagem
Dois desses ofícios — o de apóstolo e o de evangelista — eram temporários, necessários ao estabelecimento da Igreja Primitiva, mas não eram para ser perpetuados. Os apóstolos foram testemunhas oculares da ressurreição do Senhor Jesus, dotados de poder para operar milagres e conferir o Espírito Santo através da imposição das mãos, eram os expositores infalíveis da vontade de Deus e os fundadores da Igreja Cristã que, tendo servido ao propósito para o qual foram enviados, saíram de cena e, como apóstolos, não deixaram sucessores. Evangelistas eram missionários — homens que viajavam de um lugar para outro pregando o Evangelho e que agiam como assistentes e emissários dos apóstolos na organização das Igrejas. Destes, Felipe, Timóteo e Tito foram os principais exemplos. Com relação a esses ofícios temporários ou, como alguns preferem, extraordinários, deve ser dito que sua esfera de atuação não estava limitada a uma congregação em particular, mas era extensiva à Igreja como um todo. Foram …

Se Deus sabia que Satanás se rebelaria e Adão e Eva pecariam, por que Ele os criou?

Imagem
Resposta: Esta é uma pergunta de duas partes. A primeira parte é “Deus sabia que Satanás se rebelaria e Adão e Eva pecariam?” A resposta se encontra no que a Bíblia ensina sobre o conhecimento de Deus. Sabemos pelas Escrituras que Deus é onisciente, o que literalmente significa que Ele "sabe tudo". Jó 37:16, Salmos 139:2-4, 147:5; Provérbios 5:21; Isaías 46:9-10 e 1 João 3:19-20 não deixam dúvida de que o conhecimento de Deus é infinito e que Ele sabe tudo o que aconteceu no passado, está acontecendo agora e acontecerá no futuro.
Ao olhar alguns dos superlativos nestes versículos -- "perfeito conhecimento", "todos os meus caminhos te são bem conhecidos", "sabe tudo" -- é evidente que o conhecimento de Deus não é apenas maior que o nosso, mas é infinitamente maior. Ele conhece todas as coisas em sua totalidade. Isaías 46:10 declara que Ele não só sabe tudo, mas controla tudo também. De que outra maneira poderia ele "fazer conhecido" a nó…

Kevin Reed - As qualificações para os presbíteros são opcionais?

Imagem
O apóstolo Paulo delineia as qualificações para os presbíteros em I Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9. Deve ser lembrado que tais requisitos constituem os padrões indispensáveis àqueles considerados como candidatos a este ofício. Entretanto, tem sido usual considerar essa lista de requisitos apenas como algo desejável – ou sugestões que podem ser frouxamente aplicadas a presbíteros em potencial. A suposição implícita é a de que não se pode esperar que os homens preencham realmente características tão exigentes. Contudo, o texto é claro: ao homem “é necessário que” seja qualificado (1Tm 3.2). A mesma palavra é usada quando Jesus diz a Nicodemus que “necessário vos é nascer de novo” (Jo 3.7). Não se trata de algo opcional.
Fonte: “Governo Bíblico da Igreja” da Editora Os Puritanos.

John Frame - Suficiência da Escritura para a odontologia?

Imagem
Às vezes, os cristãos afirmam que a Escritura é suficiente para a religião, pregação ou teologia, mas não para consertos de carros, encanamento, cruzamento de animais, odontologia e assim por diante. É claro, muitos argumentam que ela não é suficiente para a ciência, a filosofia ou mesmo a ética. Isso revela falta de compreensão de um ponto importante. Certamente a Escritura contém mais informações específicas relevantes à teologia do que à odontologia. Mas suficiência nesse contexto não é suficiência de informações específicas e sim de palavras divinas. A Escritura contém palavras divinas suficientes para todas as partes da vida. Tem todas as palavras divinas de que o encanador precisa e todas as de que o teólogo precisa. Portanto, é tão suficiente para o trabalho do encanador como é para a teologia. Nesse sentido é também suficiente para a ciência e a ética.

Fonte: “A doutrina da vida cristã” da Editora Cultura Cristã